Inicio      Sobre      Agenda      Downloads      Forum      Fale Conosco      Global Site      Español      Português
Propagação
Talo
A Folha
A Inflorescência
O Sistema de Raiz
Brotação e Fase de Estabelecimento
Fase Perfilhamento
Fase de Crescimento dos Colmos
Fase de Maturação
Implicações Práticas
Variedades Aperfeiçoadas
Preparação da Terra
Material de Plantio
Tempo de Plantio
Irrigação da Germinação
Gerenciamento de Erva Daninha
Gerenciamento de Água da Irrigação
Fertirrigação
Cobrição
Desfolhamento
Escoramento (Amarrar)
Remoção de brotos de água
Gerenciamento de Colheita
Produção
Sintomas de Deficiência Nutricional
Pestes e Doenças
Inicio  > Irrigação por Gotejamento
Características da Irrigação por Gotejamento

Introdução

Irrigação por gotejamento em cana de açúcar é relativamente uma tecnologia nova que pode economizar água, energia e aumentar os lucros. Assim, a irrigação por gotejamento pode ajudr a resolver três dos problemas mais importantes de cana de açúcar irrigada – escassez de água, aumento dos custos de bombeamento (energia) e queda dos lucros da fazenda.

Se o gotejamento será bem sucedido ou não depende da adoção de fatores agronômicos, engenharia e econômicos.

 

   Gotejamento por Superfície

 Gotejamento Subterrâneo

 

"Irrigação por gotejamento é definida como uma aplicação freqüente, lenta e precisa de água através de emissores de linha ou ponto sobre o abaixo da superfície do em uma pressão de operação pequena (20 - 200 kPa) e a uma proporção de descarga baixa (0.6 para 20 LPH), resultando em umedecimento parcial da superfície do solo.

 

Na literatura, "localizado" é usado de forma cambiável com "gotejamento". As versões mais populares de gotejamento usadas em cana de açúcar são o gotejamento de superfície e subterrâneo.

 

  • Gotejamento por Superfície: A aplicação da água na superfície do solo como gotas ou fluxo pequeno através de emissores colocados em uma distância predeterminada ao longo da lateral do gotejamento é chamada de irrigação por gotejamento da superfície (Fig. 14). Pode ser de dois tipos – sistema de gotejamento de superfície on-line ou integral. A linha de gotejamento integral é recomendada para cana de açúcar.

 

  • Gotejamento Subterrâneo (SDI): A aplicação de água abaixo da superfície através de emissores montados na parede interna da linha de gotejamento com proporção de descarga de (1.0 - 3.0 LPH) geralmente tem o mesmo alcance como irrigação por gotejamento da superfície integral. Esse método de aplicação de água é diferente e não deve ser confundido com o método onde a área da raiz é irrigada por controle de tabela de água, aqui referido como sub-irrigação. A linha de gotejamento integral (parede fina ou grossa) é instalada em uma profundidade predeterminada no solo dependendo do tipo de solo e necessidades do cultivo. Existem dois tipos principais de SDI - "mono cultivo" e "multicultivo".

 

Leia mais sobre:

 

  

Vantagens agronômicas do gotejamento sobre aspersão & irrigação por inundação:

 

 

A adoção do sistema de irrigação por gotejamento (superfície ou subterrânea) no cultivo de cana de açúcar é tecnicamente fácil, economicamente viável e beneficial de várias formas:

  • Uniformidade de aplicação de água maior
  • Diminuição dos custos de energia por causa da redução do tempo de bombeamento para irrigar uma área dada
  • Economia de água de 45 a 50% contribuindo para um uso mais eficiente de água
  • Economia em fertilizante (25 a 30%) por causa da fertirrigação e consequentemente eficiência do uso aperfeiçoado do fertilizante. Ex: eficiência agronômica, fisiológica e fração de recoberta aparente.
  • Crescimento menor de erva daninha e economia em trabalho por causa de menor controle de erva daninha, fertirrigação & operações de proteção da planta.
  • Menor incidência de pestes & doenças por causa de limpeza de campo melhor.
  • Relações ideais de solo, água e ar contribuem para uma brotação melhor, emergência de campo uniforme e manutenção ideal da população de planta.
  • Colheita mais cedo e mais ratoons
  • Programação de irrigação dia/noite é possível.
  • Facilita o cultivo em solos marginais por causa de irrigações freqüentes e fertirrigação
  • Irrigação de alta freqüência, micro-lixiviação e potencial alto da água do solo permitem o uso de água salgada para irrigação.
  • Resultados de cana e açúcar maiores.

 

A tecnologia de gotejamento efetiva requer uma aplicação mais intensa de fatores de cultivo, solo, climáticos, engenharia, e econômicos do que normalmente apresenta a irrigação por inundação. Novas perspectivas gerenciais e habilidades são requeridas para a configuração de plantio, preparação da terra, características de design do gotejamento, programação de irrigação, fertirrigação, operação & manutenção do sistema

 

As novas práticas de gerenciamento induzidas com a tecnologia de gotejamento parecem ter ajudado de forma significante o aumento dos resultados de cana e açúcar. Configuração do plantio e características de design do gotejamento serão mencionadas nessa seção enquanto outras serão mencionadas em outras seções.

 

 

Configuração do Plantio

Os sistemas de plantio mais usados na cana de açúcar são os de inundação e ridge na região tropical e o sistema flat na região sub-tropical. O espaçamento entre fileiras varia de 0.60 a to 1.5 m. O espaçamento mais comum adotado é de 0.90 m em ridge e inundação como mostra a Fig. 17, porque facilita a irrigação e apoio sólido quando o encalhamento é feito.

 

Porém, quando o cultivo é feito através do método de irrigação por gotejamento que modifica o sistema de plantio de ridge e inundação convencional para emparelhamento ou sistema de duas linhas sem sacrificar a população de plantas por área de unidade provou ser de custo e fisiologia eficientes.

 

O espaçamento de colunas duplas depende do tipo de solo e estação de plantio. Um espaçamento mais largo é aconselhável em solos de textura fina sob altas condições de fertilidade para cultivo de longa duração (> 13 a 16 meses) e variedades de perfilhamento alto. Enquanto em solos de textura grossa com status fertilidade do solo pobre, cultivo de estação curta (10 - 12 meses) e variedades de perfilhamento menores são aconselháveis um espaçamento mais estreito.

 

O padrão de plantio emparelhado e associado com os requerimentos de espaçamento ambos sobre irrigação por gotejamento superfície e subterrâneo são demonstrados na ilustração.

Esses padrões de plantio são somente para direcionamento. Se necessário, ajustes nos padrões de plantio podem ser feitos dependendo da variedade, estação de plantio, e status de fertilidade e condições de textura do solo da região.

 

 

Normas do Design por Gotejamento – Resumo

O resumo das normas de gotejamento recomendadas para cana de açúcar em países diferentes é baseado nas características da variedade, tipo de solo, gerenciamento, custo-efetividade, e a condição local é dada na Tabela 3.

 

 

Tabela 3. Cana de açúcar: Normas do Design por Gotejamento.

 

Padrão de Plantio

Sistema de Gotejamento

Distância (m)

Profundidade de instalação de linha de gotejamento (cm)

Distância do emissor

(m)

Descarga

(LPH)

Duas linhas em um par

Duas Linhas duplas/Duas Linhas

Duas linhas de Gotejamento

Linha Única

Superfície

---

1.2 para 1.5

1.2 para 1.5

---

0.4 para 0.6

1.0 para 3.0

Linha Dupla

Superfície

0.4 para 1.0

1.4 para 2.0

1.8 para 2.5

---

0.4 para 0.6

1.0 para 3.0

Linha Dupla

SDI

0.4 para 1.0

1.4 para 2.0

1.8 para 2.5

0.15 para 0.30

0.4 para 0.6

1.0 para 2.3

 

Esquema do Design de Irrigação por Gotejamento

A irrigação por gotejamento oferece ao agricultor o potencial de aumentar o resultado da cana & qualidade; e oportunidade para aperfeiçoar a eficiência de irrigação & energia na cana de açúcar irrigada. Porém, para realizar esse potencial e oportunidade, os esquemas de irrigação por gotejamento devem ser desenhados, instalados e gerenciados corretamente.

 

Fatores do Design

Os fatores técnicos principais que devem ser considerados ao desenhar um esquema de a irrigação por gotejamento para cana de açúcar são os seguintes:

  • Requerimentos de pico de água do cultivo
  • Áreas de campo a serem irrigadas
  • Disponibilidade de água para irrigação e força
  • Qualidade da água para irrigação
  • Características do solo
  • Topografia


 

Componentes de um Sistema de Irrigação por Gotejamento

As ilustrações mostram os componentes principais do sistema de irrigação por gotejamento.

 

Capacidade do Sistema

O sistema de irrigação por gotejamento deve ter uma capacidade de design adequada para satisfazer o pico do requerimento de água do cultivo a ser irrigado dentro da área desenhada. A capacidade deve incluir uma capacidade de perda de água que pode ocorrer durante os períodos de aplicação. O sistema deve ter a capacidade de aplicar uma quantidade de água definida na área designada em um período de operação de rede específico. O sistema deve ter uma capacidade suficiente mínima para suprir os requerimentos de pico de água diários ao redor de 90% do tempo disponível ou não mais que 22 h de operação ou não mais que o período de disponibilidade de força por dia.

 

Pressão de Operação

O design da pressão de operação deve estar de acordo com as recomendações do fabricante. O sistema de pressão de operação deve compensar as perdas de pressão através dos componentes do sistema e efeitos de elevação do campo.

 

Equipamento de Seleção do Cabeçal de Controle

A estação de cabeçal de controle inclui instrumentos para medição de água, filtragem & tratamento, injeção de fertilizantes & químicos, fluxo e controle de pressão, tempo de aplicação e prevenção de retro lavagem.

 

Sistema de Filtragem

O sistema de filtragem é a montagem de componentes físicos controlados de forma independente usados para remover sólidos em suspensão da água de irrigação. A filtragem de água da irrigação é vital para esquemas de irrigação por gotejamento para evitar o bloqueio de emissores uma vez que as passagens internas dos emissores são muito pequenas.

A escolha do filtro depende principalmente do tipo de impurezas encontradas na água e o nível de filtragem requerido pelo emissor. É recomendável que um consultor especializado da Netafim seja procurado para a análise da qualidade da água para pH, sólidos em suspensão, sólidos dissolvidos e população de bactérias. As recomendações de design do sistema de filtragem devem incluir localidade, tamanho, especificação dos tamanhos de material suspensos disponíveis, tipos de filtros, e requerimentos de manutenção.

  • Localidade: Um filtro primário deve ser colocado depois da bomba e unidade de fertirrigação para remover partículas finas e grandes do fluxo. Filtros secundários podem ser usados do filtro primário para remover quaisquer partículas, que possam passar pelo filtro primário durante as operações normais ou de limpeza. Quando filtros secundários são usados, o tamanho das aberturas é normalmente maior que o filtro primário para minimizar a atenção necessária.
  • Tamanho: As aberturas do fluxo do filtro devem ser pequenas o suficiente para prevenir a passagem de partículas indesejáveis ao sistema. O tamanho do filtro deve ser baseado no diâmetro da abertura do emissor ou o tipo e tamanho dos contaminantes a serem filtrados. A capacidade do filtro deve ser larga o suficiente para permitir uma vazão nominal sem limpeza freqüente. Filtros que são limpos manualmente devem requerer mais que uma manutenção diária. Os tamanhos devem ser os mais econômicos com as mais baixas perdas de fricção variando de 0.3 para 0.5 bars.
  • Tipos: A filtragem deve ser feita através do uso de tipos diferentes de filtros; tela (para impurezas inorgânicas e água de qualidade moderada ou seguindo uma filtragem primária com areia e filtros de disco) disco (para a remoção de impurezas de origem orgânica e inorgânica, algas incluídas), hidrociclones (para a separação de areia ou silte da água do poço ou rio) e filtros de areia ou média (para poços abertos, reservatórios abertos, correntes, etc).

 

Unidade de Fertirrigação

Os sistemas de irrigação por gotejamento proporcionam um método conveniente de aplicar fertilizantes e químicos com a água da irrigação usando dispositivos de fertirrigação especiais. Os dispositivos de fertirrigação incluem sistemas diferenciais de pressão (tanque de fertilizante), sucção produzida pelo principio de venturi (injetores venturi) e bombas (diafragma ou pistão eletricamente operado). A unidade de fertilizante é uma parte integral do cabeçal de controle.

 

As considerações importantes são taxa & método de injeção, concentração, capacidade do tanque de armazenamento, contaminação do suprimento de água, confiança e precisão de operação, garantia e serviço, adaptação a automatização, desempenho do campo, preço incluindo aquisição e custo de manutenção, expectativa de vida, etc.

 

Sistema de Transmissão de Água – Linhas adutoras, principais e secundárias.

O objetivo do design das linhas adutoras, principais e secundárias é entregar a quantidade de água pressurizada requerida aos laterais (linhas de gotejamento) da forma mais eficiente possível. O agricultor de cana deve tentar minimizar o custo total das linhas adutoras e principais necessárias para satisfazer as especificações de engenharia.

 

As linhas secundárias devem ser baseadas no requerimento de capacidade, custo de manutenção, custo de investimento e uniformidade de pressão. Tubos enterrados são menos sujeitas a avaria do que linhas da superfície e não requerem manuseio especial durante a estação de cultivo. Cavaletes apropriados e válvulas existem para cada tipo de tubo. As linhas adutoras, principais e secundárias geralmente são 20 - 35% do investimento total por ha.

 

  

 

Montagem de Cavalete

Conectado ao sistema de transmissão de água e localizado em cada bloco de campo tem um cavalete montado. Tipicamente, esse consiste de uma válvula de controle, um filtro de disco, uma válvula auxiliar de pressão e regulador de pressão, um ponto de teste de pressão de água, e uma válvula auxiliar de ar.

 

O volume de água aplicada para cada bloco de campo é controlado pela abertura e fechamento de válvulas. Essas podem ser válvulas de registro simples, válvulas volumétricas semi-automáticas ou válvulas solenóide automáticas conectadas de volta ao controlador central. Apesar dos sistemas semi-automáticos e automáticos reduzirem os custos do trabalho e facilitarem a irrigação noturna, elas são mais caras. É recomendável, quando possível, que os agricultores escolham os sistemas de controle mais simples e sistemas que são fáceis de usar e manter.

 

A válvula auxiliar de ar, que pode também agir como um ponto de teste de pressão de água é necessário para prevenir que a água bata toda vez que o ar está escapando do sistema de transmissão de água. A descarga das linhas de gotejamento ao invés daquelas com emissores de compensação de pressão é dependente da pressão de água na linha de gotejadores.

 

 

O regulador de pressão no cavalete é usado para manter a pressão de água nas linhas de gotejadores no nível recomendado pelo engenheiro de design da Netafim. Deve ser notado que as montagens do cavalete estejam protegidas de avaria por vandalismo, fogo na cana e operações no campo tais como colheita mecânica, carregamento, etc. Uma caixa de concreto com uma porta de metal normalmente proporciona proteção o suficiente.

 

Tipo de linha de gotejadores

Na maioria dos sistemas irrigados por gotejamento em cana de açúcar a água é conduzida da montagem do cavalete (Fig. 20) para uma linha secundária nas quais as linhas de gotejadores estão conectadas. Apesar de existirem vários tipos de linhas de gotejadores Netafim que são usados em cana de açúcar, elas estão todas desenhadas para distribuir água uniformemente por sobre toda a área do design de um bloco de campo dado. Uma variação na taxa de descarga dos emissores da linha de gotejadores que é aceitável é de ordem de ֲ± 8 - 10%.

 

Linhas de gotejadores variam no design do emissor, qualidade, uniformidade de descarga e custo. De fora, a maioria das linhas de gotejadores integrais se parece. Mesmo assim existem diferenças entre produtos, particularmente emissores. Consistência e desempenho superior de uma linha de gotejadores integral dependem da qualidade do seu emissor. Vários anos de experiência têm demonstrado que os seguintes fatores devem ser considerados ao selecionar a linha de gotejadores que devem ficar na superfície ou enterradas ao longo de um ciclo de vida completo da cana e 2 a 8 ratoons.

 

Fatores técnicos

  • Emissores precisos para descarga de água & nutrientes uniforme e constantemente baixos.
  • Cruzamento de fluxo mais profundo e largo para descarga de água livre de entupimento.
  • Dentes afiados para aumentar turbulência, controle de fluxo & lavagem do emissor.
  • Construção de tubos sem emenda para manter tensão e ancoragem maior para facilitar pressões de operação maiores para períodos maiores
  • Emissor de entrada do filtro elevado para retirar água limpa do centro do tubo e prevenir entupimento
  • Emissores com filtros para prevenir entupimento, menos manutenção & vida mais longa.
  • Espaçamento de emissor flexível e escolha de fluxo para adaptar variedades de cana de açúcar diferente, padrões de plantio, tipos de solo, etc.
  • Expoente de emissor baixo e fabricação de coeficiente de variação
  • Fluxo insensível a diferenças de temperatura
  • Resistência a insetos, resistência a luz solar, sem partes móveis e vida antecipada.
  • Linhas de gotejadores vêm em uma grande variedade de espessura de parede. Construção e espessura da linha de gotejadores devem ser suficientes para reduzir o risco de o tubo ser amassado ou pego por stools de cana ou raízes ou tráfego no campo tais como carregadores mecânicos, maquinário da fazenda, etc. As linhas de gotejadores recomendadas com sucesso são dadas na Tabela 4.
  • Mecanismo de Flap para prevenir o risco de sugação de material fino de solo para os emissores da linha de gotejadores levando o entupimento.
  • Os diâmetros nominais são 16 mm e 22 mm. Um diâmetro maior permitirá o suprimento de água para uma extensão maior de linha de gotejadores antes que a pressão caia para baixo dos requerimentos do design. Isto resulta em economia de custo das linhas secundárias.
  • Disponibilidade de maquinário para recuperar as linhas de gotejadores no final do ciclo e usa-las para um segundo ciclo se possível depois de refurbishment.

 

Tabela 4. Linhas de gotejadores recomendada para cana de açúcar.

 

Espessura da linha de gotejadores

Categoria

Tipo de cultivo

34 mil  (0.8 mm)  - 47 mil

(1.2 mm)

Espessura grossa &

PC ou Não PC

Para gotejamento de superfície e subterrâneo, condições de solo mais difíceis e onde avaria por insetos é esperado. Duração maior que 10+ anos com técnicas de operação e manutenção apropriadas

12 mil (0.3 mm)  - 25 mil

(0.63 mm)

Espessura fina &

PC ou Não PC

Para gotejamento subterrâneo e boas condições de solo. Duração de 3-5 anos.

 

Fatores Agronômicos

  • Sistema de irrigação por gotejamento na superfície e subterrâneo é tecnicamente fácil na cana de açúcar sob condições diversas
  • Disponibilidade de tipos de linha de gotejadores para aplicação na cana de açúcar, espessura grossa para gotejamento de superfície de cana irrigada, espessura fina para gotejamento subterrâneo de cana irrigada, linhas de gotejadores compensadas sem-pressão para solo nivelado, linhas de gotejadores compensadas com pressão para topografia ondulada, etc.
  • Irrigação por gotejamento subterrâneo foi superior em relação a gotejamento de superfície em termos de disponibilidade de água, uniformidade, uso de água, eficiência no uso de água, colheita e qualidade da cana, gerenciamento, etc.
  • Linha dupla ou configuração de plantio de abacaxi com espaçamentos variados depende da textura do solo com uma linha de gotejadores para cada duas linhas mostrou ser tecnicamente possível, economicamente viável e potencialmente lucrativa em comparação a configuração de plantio de linha simples retangular com linha de gotejadores para cada linha de cultivo.
  • Linhas de gotejadores podem ser enterradas com sucesso antes do plantio de cana sem esperar pelo plantio e brotação da cana.
  • A germinação da cana e emergência do campo foi adequada para dar um suporte a planta satisfatório nos sistemas superfície e SDI sem nenhum uso suplementar de inundação de superfície ou aspersão para irrigação de germinação.

Espaçamento de emissor, Taxa de Descarga e Profundidade de Localidade.

A área úmida como uma porcentagem da área de cultivo total. Por exemplo: padrões de umidade que são obtidos sob irrigação por gotejamento dependem de um número de fatores que incluem as propriedades hidráulicas do solo, espaçamento do emissor, localização da linha de gotejadores em relação às linhas de cana, taxa de descarga do emissor, configuração do plantio, evapotranspiração do cultivo e regime de irrigação. A seguinte informação em relação a padrões de umidade tem sido obtida pelos Agrônomos & Engenheiros de Design da Netafim a partir de muitos anos de experimentação e experiência sob condições agro-ecológicas diversas.

  • Espaçamentos do emissor: Espaçamentos de 0.3 a 0.75 m e taxas de descarga de 1.0 a 3 LPH foram aceitáveis para a maioria dos tipos de solo tipos no qual a cana de açúcar é cultivada países diferentes hoje. É recomendável, porém, que as taxas de descarga e espaçamentos de emissor menores sejam usadas em solos arenosos de textura leve, argilosos, arenosos que tem baixa retenção de água. Ao contrário, taxas de descarga altas e espaçamento de emissores mais largos são recomendados para solos de textura média a pesada tais como argilosos, argilosos e silte e argilosos. A taxa de descarga do emissor não deve criar dreno dentro da área de aplicação imediata. Em campos com tipos de solo variados, esse critério deve ser aplicado ao solo com a taxa de infiltração mais baixa ao menos que essa seja menor que 15% da área irrigada. Deve ser notado que quanto mais largo o espaço entre os emissores mais difícil será conseguir uma faixa úmida uniforme e assim uma germinação de cana uniforme e emergência de campo.
  • Área úmida: A área úmida como porcentagem do total de cana cultivada variou de um baixo 28% em uma configuração largamente espaçada de plantio de linha dupla com linha de gotejadores para cada duas linhas (colocadas no meio entre duas linhas) a uma altura de 60% em uma configuração de plantio retangular de linha simples com linha de gotejadores para cada linha.
  • Profundidade de Localidade: A colocação de linha de gotejadores subterrânea é a técnica mais popular usada em cana. Linhas de gotejadores enterradas são protegidas de avaria mecânica. A profundidade de localidade é crítica para aperfeiçoar o potencial de irrigação por gotejamento. O tipo de solo e topografia ditam a profundidade da localidade. Os solos de textura leve (arenosos e areia-argiloso) requerem profundidade rasa de linha de gotejadores para que a água não seja perdida por percolação profunda. Os solos de textura média a pesada (argilosos, argiloso e silte) que serão umedecidos lateralmente (diâmetro úmido maior) podem ter uma localidade mais profunda. Isto é uma vantagem que minimiza avaria a linha de gotejadores de insetos e ratos e intrusão de raízes; isto também permite o plantio até o topo da linha de gotejadores. Em declives, a colocação da linha de gotejadores pode ser feita do lado de cima do sett para que a gravidade drene a água para zona da raiz, mas é preciso cuidado para evitar avaria durante o cultivo. O objetivo geral ao considerar a colocação da linha de gotejadores é manter um suprimento de água mais eficiente à zona da raiz efetiva da planta sob as condições do tipo de solo, profundidade do solo, topografia e quaisquer outras condições limite (Tabela 5). A profundidade rasa pode causar esmagamento das linhas de gotejadores por carregadores mecânicos e fogo na cana. A profundidade rasa de instalação das linhas de gotejadores também pode levar a perda de água da irrigação devido à evaporação direta do solo por causa das poças formadas acima das linhas de gotejadores durante a irrigação. Tente não deixar a água alcançar a superfície do solo, pois isso permitirá a germinação de ervas daninhas. Em condições secas, será beneficial to umedecer a superfície depois da colheita para auxiliar in ratooning.

 

Tabela 5. Profundidade da colocação de linha de gotejadores no sistema SDI.

Textura do solo

Profundidade de colocação abaixo da terra

Observações

 

Areia argilosa & argila arenosa

 

15 para 20 cm

 

Esses solos beneficiam-se de irrigações curtas & freqüentes. Irrigue somente para preencher o perfil do solo a uma profundidade de raiz efetiva. Note que a irrigação por gotejamento molha somente uma banda estreita sob a linha de gotejadores nesses solos e a capacidade de armazenagem do solo é pequena.

Argila silte

 

20 para 25 cm

 

Irrigações menos freqüentes. Um volume maior de aplicação de água da irrigação pode ser permitido uma vez que a água espalha de forma lateral mais para a zona da raiz. A capacidade de armazenagem de água do solo é alta.

 

 

Argila

 

 

25 para 30 cm

 

Irrigações menos freqüentes e maior volume de aplicação de água da irrigação podem ser permitidos uma vez que a água espalha de forma lateral mais para a zona da raiz. A capacidade de armazenagem de água do solo é muito alta. Porém, cuidado com condições de drenagem e waterlogging na zona da raiz do cultivo.

 

Fatores de Design Econômico e Gerencial

Os principais fatores gerenciais e econômicos que devem ser considerados ao desenhar a SDI para cana de açúcar são os seguintes:

  • Colheita potencial e incremento de CCS
  • Custo do sistema de irrigação por gotejamento subterrâneo
  • Custo de instalação e juros
  • Operação e custos de manutenção
  • Disponibilidade e custo da água
  • Disponibilidade e custo de funcionários habilidosamente treinados para operar o esquema de gotejamento
  • Preço do açúcar

Outros Fatores

  • Água - Fonte, disponibilidade e avaliação da qualidade para determinar o tipo de sistema de filtragem, manutenção do sistema de irrigação, gerenciamento de cultivo e seleção de fertilizantes.
  • Avaliação do solo para status de fertilidade, conteúdo de argila, CEC, densidade para determinar o programa de fertirrigação.
  • Determinação das propriedades de umidade e demanda evaporativa da atmosfera para a programação de irrigação.
  • Pesquisa para seleção do tipo de linha de gotejadores (compensação de pressão ou compensação sem-pressão) para determinar a extensão da linha de gotejadores e espaçamento subterrâneo.
  • Características do solo para determinar o espaçamento de emissor apropriado e profundidade da colocação da linha de gotejadores.

Instalação

  • É essencial que uma instalação e manutenção de alta qualidade sejam adotadas para a linha de gotejadores que esteja instalada abaixo da terra. Os seguintes pontos são importantes ao instalar o sistema: Siga as instruções do Engenheiro de Design da Netafim; por exemplo, ao colar os tubos de PVC, instalação de adutoras & secundárias assim como o tamanho dos tubos terão sido dimensionados para permitir fluxos específicos e pressão ao longo do sistema.
  • Depois da instalação, verifique cada parte do sistema cuidadosamente para vazamentos por que os mesmos poderão causar problemas de pressão no final do esquema.
  • Verifique de cada linha de gotejadores está sendo injetada no lugar certo, orientação e profundidade e para garantir que não há dobras no cavalete que conecta a linha de gotejadores as linhas secundarias.
  • Enterre adutoras e linhas secundárias para garantir que as pedras na tampa não avariem os tubos.
  • Depois de conectar, porções parcialmente tampadas das linhas secundárias e um teste de pressão deve ser feitos antes de fechar completamente as trincheiras.
  • Lave o sistema de transmissão de água para remover material extra antes dos cavaletes e linhas de gotejadores estejam conectados.
  • Verifique a pressão da água nos cavaletes e nos fluxos de linha de gotejadores: se eles não estiverem de acordo com a especificação, deve haver um problema com o design ou o estágio de instalação.

Gerenciamento da linha de gotejadores

As linhas de gotejadores e emissores, para sistemas de superfície e subterrâneo, estão sujeitos a entupimento e quebra com o passar do tempo. Depósitos microbiais e inorgânicos são as duas causas principais de entupimento do emissor. Algas e lodos com bacterias são particularmente importantes quando a água é bombeada diretamente da valeta de irrigação, reservatório, poço aberto, ou canal natural. Mesmo com filtros médios de areia, microorganismos podem crescer nas linhas e tornarem-se um grande problema.

 

Manter um pH de 6.5 - 6.8 com injeção ácida periódica pode reduzir a precipitação de compostos inorgânicos (fosfatos, cálcio, bicarbonatos) e inibir o crescimento de algas. Cloro também pode ser usado para tratar algas. Tratamentos de choque com ácidos (sulfúrico, hidroclórico e fosfórico) que reduzem periodicamente o pH para 2 - 3 também matam algas e eliminam algum entupimento inorgânico.

 

Fertilizantes acidificados são usados ou estão sendo desenvolvidos para lidar como entupimento do emissor.

Roedores, coelhos, e coiotes podem mastigar buracos nas linhas de gotejadores, raízes podem entupir emissores subterrâneos, ou linhas podem ser mecanicamente avariadas. Na maior parte, agricultores de cana irrigada por gotejamento no mundo todo não tem considerado isso um grande problema. Linhas quebradas ou avariadas (de todas as causas) têm afetado menos que 4% do total do sistema. Linhas quebradas são normalmente fáceis e baratas de serem consertadas.

 

Químicos (como Trifluralina) ajudam a manter os emissores livres de entupimento por raízes sob SDI. Também, linhas de gotejadores subterrâneas são melhor protegidas de avaria por roedores com uma colocação de linha mais profunda e operação de maquinário no campo.

 

 

Send to a friend Top of Page Printable Version