Inicio      Sobre      Agenda      Downloads      Forum      Fale Conosco      Global Site      Español      Português
Propagação
Talo
A Folha
A Inflorescência
O Sistema de Raiz
Brotação e Fase de Estabelecimento
Fase Perfilhamento
Fase de Crescimento dos Colmos
Fase de Maturação
Implicações Práticas
Variedades Aperfeiçoadas
Preparação da Terra
Material de Plantio
Tempo de Plantio
Irrigação da Germinação
Gerenciamento de Erva Daninha
Gerenciamento de Água da Irrigação
Fertirrigação
Cobrição
Desfolhamento
Escoramento (Amarrar)
Remoção de brotos de água
Gerenciamento de Colheita
Produção
Sintomas de Deficiência Nutricional
Pestes e Doenças
Inicio > Morfologia do Cultivo > Talo
Talo

Talo também é chamado de "cana para moer". Essa se desenvolve á partir da gema da semente de cana. Quando a semente de cana é plantada, cada gema pode formar um primário.

 

Á partir desse shoot, shoots secundários chamados de "perfilhos" podem formar as gemas subterrâneos no shoot primário.

Além disso, perfilhos adicionais podem formar-se á partir de gemas de shoot secundário subterrâneo. O talo consiste de segmentos chamados juntas.

 

Cada junta é feita de um nódulo e um entrenó. O nódulo é onde a folha está acoplada ao talo e onde as gemas e a raiz primordial são encontradas. Uma cicatriz da folha pode ser encontrada no nódulo das folhas quando estas caem. A extensão e diâmetro das juntas variam muito de acordo com as variedades e condições de cultivo. As cores do talo vistas nos entrenós dependem das variedades de cana e das condições ambientais.

 

Por exemplo, a exposição dos entrenós ao sol pode resultar em uma alteração completa de cor. A mesma variedade cultivada em climas diferentes pode exibir cores diferentes. Todas as cores do talo derivam de dois pigmentos básicos: a cor vermelha da antocianina e o verde da clorofila.

 

A proporção de concentração desses dois pigmentos produz cores de verde ao vermelho púrpuro ao vermelho para quase preto. Talos amarelos indicam uma relativa falta desses pigmentos. A superfície desse entrenó, com a exceção do anel de crescimento, é mais ou menos coberta por cera. A quantidade de cera depende da variedade.

 

O topo do talo é relativamente baixo em sacarose e, portanto tem pouco valor para moer. 1/3 do topo contém, porém, muitas gemas e um bom suprimento de nutrientes, que o torna valoroso como semente de cana para plantio.

 

Uma secção do entrenó mostra, de fora para dentro, os seguintes tecidos: epiderme, córtex ou rind, e tecidos do solo envoltos em bundles vasculares. As células do rind são de espessura murada e lignificada. Essas células ajudam a alongar o talo. Mais em relação ao centro, o tecido do solo contém os bundles vasculares com xilênio e líber.

 

Os tecidos de xilênio conduzem água e seus minerais dissolvidos para cima das raízes, e os tecidos de condução do líber transportam nutrientes produzidos pela planta para baixo das raízes.

 

Os dois tipos de rachaduras ás vezes são encontrados na superfície do talo; rachaduras inofensivas com pequenas espirais, que são restritas a epiderme, e rachaduras de crescimento que podem ser profundas e corram ao longo de toda a extensão do entrenó.

 

Rachaduras de crescimento são prejudiciais uma vez que elas permitem aumento de perda de água e exposição do talo para organismos doentes e insetos. Rachaduras de crescimento dependem da variedade e condições de crescimento.

 

Send to a friend Top of Page Printable Version