Inicio      Sobre      Agenda      Downloads      Forum      Fale Conosco      Global Site      Español      Português
Propagação
Talo
A Folha
A Inflorescência
O Sistema de Raiz
Brotação e Fase de Estabelecimento
Fase Perfilhamento
Fase de Crescimento dos Colmos
Fase de Maturação
Implicações Práticas
Variedades Aperfeiçoadas
Preparação da Terra
Material de Plantio
Tempo de Plantio
Irrigação da Germinação
Gerenciamento de Erva Daninha
Gerenciamento de Água da Irrigação
Fertirrigação
Cobrição
Desfolhamento
Escoramento (Amarrar)
Remoção de brotos de água
Gerenciamento de Colheita
Produção
Sintomas de Deficiência Nutricional
Pestes e Doenças
Inicio  > Requerimento do Solo
Requerimento do Solo

Solo é um meio para o crescimento da planta. Esse proporciona nutrientes, água e ancoradouro para plantas em crescimento. Manutenção de condições próprias físicas, químicas e biológicas do solo é necessário para realizar um crescimento maior, produção e qualidade da cana de açúcar. Cana de açúcar não requer nenhum tipo específico de solo e, portanto pode ser cultivada em tipos de solo diversos variando de solos arenosos, argilosos & argilosos pesados.

 

Um solo argiloso, profundo e bem drenado com uma densidade volumosa de 1.1 a 1.2 g/cm3 (1.3 - 1.4 g/cm3 em solos arenosos) e porosidade total, com um balanço adequado entre poros de vários tamanhos é maior que 50%; água subterrânea abaixo de 1.5 a 2.0 m da superfície do solo e uma capacidade de manter a água disponível de 15% ou mais (15 cm por metro de profundidade do solo é considerado ideal para o cultivo de cana de açúcar).

 

O pH ideal do solo é ao redor de 6.5, mas a cana de açúcar pode tolerar um nível considerável de acidez e alcalinidade do solo. Porém, encontram-se solos com pH entre 5 e 8.5. Liming é requerido se o pH  for menor que 5.0, ou aplicação de gypsum se o pH for maior que 9.5. Infestações de nematódeos tendem a ocorrer  em solos muito arenosos.

 

Testar o solo antes do plantio é desejável, pois isso ajuda determinar a quantidade ideal de aplicação de nutriente macro e micro. Obstáculos químicos nos solos tais como acidez e fertilidade baixa são relativamente fáceis de corrigir ou controlar.

 

Condições físicas pobres tais como compactação do solo devido à mecanização intensa ao limitar é bem mais difícil de melhorar. Por essa razão, propriedades físicas do solo são dadas como um fator de crescimento da cana de açúcar. Baseado na experiência obtida no Brasil, alguns critérios para definir solos que são aptos para o crescimento de cana de açúcar foram sugeridos (Tabela 2).

 

Tabela 2. Critérios para classificar a capacidade dos solos para o cultivo de cana de açúcar.

 

Characteristics

Class

Good

Average

Restricted

Unfit

Effective depth

Deep

Medium

Shallow

Too shallow

Soil texture

Clayey

Medium to clayey

Sandy

Too sandy

Relief

Flat

Rolling

Too rolling

Hilly

Fertility

High

Medium or low

Too low

Too low

Drainage

Good

Medium to accentuated

or incomplete

Incomplete

Excessive or deficient

Restraints to

mechanization

Absent

Medium

Strong

Too strong

Susceptibility

to erosion

Low

Medium

High

Too high

Source: Kofeler and Bonzelli (1987)

 

Gerenciamento de solos compactados

O problema de subsuperfície dura ou compactação é um fenômeno comum em mecanização intensiva, mais números de ratoons e cana de açúcar – sistemas de rotação de rice.

Efeitos da compactação do solo

  • Aumenta a densidade da profundidade (Solos leves a médios: 1.5 a 1.7 g/m3 e solos pesados: 1.45 a 1.57 g/m3) e a resistência de penetração do solo
  • Redução de porosidade, infiltração e capacidade de armazenamento de água.
  • Impedimento da penetração da raiz e proliferação. Um sistema de raiz rasa torna a planta suscetível durante períodos de seca.
  • Redução de nutriente e captação de água
  • Promove lodging em particular em condições úmidas incomuns

 

Práticas de Aperfeiçoamento

  • ploughing profundo, sub-aterramento ou rotear até uma profundidade de 50 - 75 cm a 90 cm
  • Aplicação de adubos orgânicos (FYM @ 25 tons/ha), cultivo de adubos verdes e transformação dos mesmos em solo.
  • Incorporação de gypsum @ 5 tons/ha

 

Gerenciamento de solos ácidos

Geralmente solos ácidos são encontrados em áreas de chuvas intensas e em solos onde o conteúdo e matéria orgânica são altos. A acidez do solo afeta de forma adversa o cultivo de cana de açúcar, safra e qualidade. Sob condições ácidas, os efeitos adversos ocorrem por causa do alumínio, ferro e toxicidade do manganês. A toxicidade do alumínio pode causar P sintomas de deficiência de P por cause de precipitação de complexos de alumínio-fosfato dentro da planta e no solo. Na Austrália, a deficiência de Cálcio é associada com a toxicidade do Al em solos ácidos.

 

Em condições de solo acidas (pH menor que 5.2), Al substituiu o Ca na capacidade de intercâmbio de cátion. A toxicidade do alumínio pode ocorrer em solos minerais quando o Al ocupa mais que 30% da capacidade de intercâmbio de cátion.

 

Em solos arenosos que tem uma capacidade de intercâmbio muito baixa, baixas concentrações de Al na solução do solo pode causar problemas de toxicidade. Altas aplicações de K podem induzir a deficiência de Ca em solo ácido que contém níveis baixos de Ca. Crescimento de raiz, perfilhamento,

alongamento de shoot e LAI são severamente afetados por causa das desordens nutricionais acima e, portanto causam uma safra de cana pobre e suco de baixa qualidade.

 

Em solos ácidos no Brasil, um melhor desenvolvimento de raiz no horizonte do solo tem sido notado quando o gypsum é usado. Liming é a prática mais importante em solos ácidos para aperfeiçoar produções.

 

Os requerimentos gerais de lime são os seguintes:

  • Solos arenosos 450 - 675 kg/ha cada 2 anos
  • Solos Clay loams 1800 - 2250 kg/ha cada 3 - 4 anos
  • Solos argilosos 2700 - 3600 kg/ha cada 4 - 5 anos
  • Bone meal e fosfatos de pedras são bem adaptados a solos ácidos para suprir fósforo.

Gerenciamento da salinidade e sodicidade do solo

Os solos salinos e sódicos são espalhados em áreas e cultivo de cana de açúcar no mundo. Um solo com condutividade elétrica abaixo de 2 dS/m, de forma geral não afeta o cultivo apreciativo. A cana de açúcar é moderadamente sensível à salinidade do solo. A diminuição da safra do cultivo varia com o nível de salinidade do solo.

A diminuição da safra do cultivo s 0% em ECe de 1.7 dS/m, 10% em 3.3, 25% em 6.0, 50% em 

10.4 e 100% em um ECe de 18.6 dS/m. A salinidade do solo também afeta de modo adverso conteúdo de umidade da bainha e conteúdo de nitrogênio.

De forma similar, SAR a mais de  20 causou 50% de redução da safra. O aumento no intercambio de porcentagem do solo de 14.4 para 23.5 levou a redução da cana (9 - 26%) e açúcar (12 - 29%) em 10 cultivos de cana de açúcar estudados em Karnal, India.

 

As variedades diferem nas suas reações a salinidade e acidez do solo. A brotação e crescimento prematuro dos colmos são mais sensíveis que estágios mais tardios de crescimento do cultivo. Ratoon crop é mais sensível que salinidade do que cultivo da planta.

 

 

Sintomas da salinidade e alto teor de sódio do solo

  • Cultivo privados de crescimento e folhas necróticas com pontas queimadas e margens
  • Perfilhamento e crescimento de raiz pobre
  • Redução na extensão entrenó e girth de cana
  • Qualidade deficiente de cana com pureza de suco reduzida
  • Problemas no processamento de jaggery e açúcar

Medidas de aperfeiçoamento

  • Cultivo de variedades tolerantes a ripa
  • Manipulação do meio ambiente do solo por expansão e drenagem
  • Adoção de irrigação por gotejamento para manter o potencial de água do solo alto na área da raiz através da luz e irrigações freqüentes.
Send to a friend Top of Page Printable Version